O que você ganha ao combinar 15 radiotelescópios da Terra e mais um localizado no espaço? Um enorme telescópio virtual, com mais de 90.000km de diâmetro. Hm. Ao apontá-lo para um buraco negro distante, você obtém a imagem de maior resolução da história da Astronomia [até aqui].

Embora você olhe para a imagem e reconheça nada mais que uma grande mancha verde multicolorida (como eu), na verdade o que se vê é um enorme jato energético de matéria que está fluindo para além de um buraco negro. Ah, e ele se encontra à 900 milhões de anos-luz de distância!

Conforme informado pela revista Popular Science, foi necessário um conjunto de 15 radiotelescópios ativos da Terra mais o telescópio espacial russo Spektr-R para capturar a imagem. Esta técnica – chamada de interferometria – permitiu aos cientistas ‘ajuntar’ a capacidade de resolução de cada radiotelescópio num super telescópio virtual (se ele realmente fosse construído do zero, teria uma lente de 90.000km de diâmetro). A resolução é tanta que seria possível capturar uma foto de uma moeda de 50 centavos deitada sob a superfície da Lua.

O jato emanando do buraco negro BL Lacertae, com a nuvem de Oort (envolvendo o Sol) e o Sistema Estelar de Alpha Centauri para comparação.

O jato emanando do buraco negro BL Lacertae, com a nuvem de Oort (envolvendo o Sol) e o Sistema Estelar de Alpha Centauri para comparação.

Sob essa perspectiva, o buraco negro da imagem têm 280 bilhões de quilômetros de comprimento (caberia dentro da enorme Nuvem de Oort) – para uma distância de 900 milhões de anos-luz.

Esta é a primeira das moedas cósmicas distantes encontradas pelo super-telescópio. Que venham mais.

Fonte: Universe Today

 


Gostou do Acervo? Ajude-nos a crescer! Curta a nossa página no Facebook.

COMPARTILHE O POST COM SEUS AMIGOS! 😉

Comentários

comentários

Sobre o Autor

Gabriel Pietro têm 18 anos, é Web Designer e Redator do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.