Tudo no Universo parece ser parte de algo maior. Nossa Terra é parte do Sistema Solar, o Sistema Solar é parte da Via Láctea, e até mesmo nossa Via Láctea é parte do Grupo Local. O Grupo Local é parte do Aglomerado de Virgem e, ainda sim, este aglomerado é parte de um superaglomerado de galáxias que é um pedaço dentre vários outros que compõem o todo. Os superaglomerados logo são as maiores estruturas conhecidas no Universo, medindo centenas de milhões de anos-luz de diâmetro e contendo milhões de galáxias.

A Via Láctea é parte do Superaglomerado de Virgem. Esta formação gigante preenche um volume de espaço de 110 milhões de anos-luz de diâmetro e contém pelo menos 100 grupos de galáxias e outros aglomerados. Ah, o Superaglomerado de Virgem é apenas um de outras dezenas de milhões conhecidas do Universo Observável.

ENTENDENDO O GIGANTE

Sobre os superaglomerados até aqui conhecidos (nós estamos no meio).

Sobre os superaglomerados até aqui conhecidos (nós estamos no meio). Clique para ampliar.

Um superaglomerado típico contém 10^15 vezes a massa do Sol, isto é, um quatrilhão de massas solares. Ele contém todos os grupos de galáxias e aglomerados de galáxias que parecem estar associados um ao outro através da atração gravitacional mútua. Os astrônomos estimam que exista 130 superaglomerados localizados a uma distância de até 1,3 bilhão de anos-luz da Via Láctea. Alguns exemplos de conjuntos são Hydra-Centaurus, Perseus e Cetus. Eles possuem o mesmo nome das constelações em que se são encontrados.

Superaglomerados mostram que nosso Universo não está distribuído uniformemente. Em vez disso, a estrutura de larga escala do Universo é composta destes superaglomerados gigantes conectados entre si em longos filamentos. Visto de longe o suficiente, o Universo pareceria uma longa e espessa esponja, com grandes filamentos saindo do centro da esponja para o vazio, tal como fios alongados.

Temos escrito diversos artigos sobre galáxias. Se você gostou da leitura, pode se interessar pelo artigo “Superaglomerados Governados Por Matéria Escura”.

Se você curtiu o assunto e deseja obter mais informações sobre o nosso Universo, visite a seção “Enciclopédia” ou o “Guia para o Espaço” – com artigos e conceitos diversos que enriquecerão seu vocabulário científico. Aproveite!

Fonte: Universe Today


Gostou do Acervo? Ajude-nos a crescer! Curta a nossa página no Facebook.

COMPARTILHE O POST COM SEUS AMIGOS! 😉

Comentários

comentários

Sobre o Autor

Gabriel Pietro têm 18 anos, é Web Designer e Redator do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.