OUniverso Observável têm cerca de 8,8×10^26m de diâmetro. Quão grande é isso? Bem, a primeira coisa que vem à mente é que nós, seres humanos, tendemos a ‘linearizar’ tudo, por isso não temos uma boa intuição do quão colossal o expoente 26 de fato é, onde cada acréscimo nesse valor representa um aumento no número final em um fator de 10. Cada fator de dez, também chamado de ordem de magnitude, aumenta as cifras de forma bem justa. Você pode facilmente caminhar um quilômetro em quinze minutos; aumente apenas três ordens de grandeza e você vai precisar dirigir depressa a maior parte do dia para cobrir essa nova distância.

Vamos deixar as coisas um pouco mais interessantes. Em segundo lugar, grandes quantidades de espaço vazio não trazem grande apelo, de modo que raramente se vê adequadamente (e de forma bem dimensionada) as vastas distâncias entre os corpos no espaço. Mesmo a curta distância da Terra à Lua é bastante vazia, separadas por quase 400 mil quilômetros. Realmente, a Lua não está “apenas lá em cima”. Veja só a escala:

Artigo-109_segundo

 

Para se ter uma ideia, vamos supor que o Universo Observável seja reduzido ao tamanho da órbita de Netuno, que, não se esqueça, é muito maior do que você pensa que é. O tamanho da órbita de Netuno é de aproximadamente 9×10^9m, logo, nosso fator de escala é de 10^17. Isso significa que a órbita netuniana encolheu para algo menor do que um décimo de um micrômetro – menor do que o comprimento de onda da luz visível para todo o Sistema Solar, montante de espaço gigantesco e relativamente vazio, o que faz dessa escala essencialmente invisível. A nossa estrela mais próxima, Alpha Centauri, estaria a um pé de distância (30 cm).

A Via Láctea, nossa galáxia, é enorme, possuindo 100 mil anos-luz de diâmetro, isto é, 10^21m. Nosso Sistema Solar é insignificante dentro dela. No nosso modelo de escala, toda a Via Láctea teria cerca de 10km de diâmetro, uma pequena cidade talvez. Nossa ‘cidade’ vizinha mais próxima, a galáxia de Andrômeda, estaria a 250km de distância. O nosso Grupo Local de galáxias é parte do Superaglomerado de Virgem. O aglomerado estaria a 6.500km além, a partir do nosso modelo de escala. E, veja bem, há milhões de superaglomerados como esse espalhados em espécies de ‘filamentos’ por todo o Universo Observável.

Tentei usar palavras como “colossal”, “enorme”, “insignificante”, “invisível”, “maior do que você pensa” e “ordem de grandeza” para transmitir uma imagem realista e sincera da verdadeira escala do Cosmos. Mesmo através da mais desproporcional das escalas universais, nós não conseguiríamos apreciar o real tamanho do Universo Observável. E, para te deixar um pouco perplexo, há chances de nosso universo ser apenas uma pequena fração de algo ainda maior – multiversos.

E ainda assim, alguns de nós ainda afirmam que tudo isso foi colocado especialmente para a nossa espécie desfrutar – mais, que nós somos o centro do Universo. Sinto dizer que não somos nada em escala solar, galáctica ou universal. Devemos compreender o nosso lugar e o que significamos em meio ao todo. E sermos grandes o suficiente para reconhecer quão pequenos somos.

Fonte: Quora, Wikimedia US

Gostou do Acervo? Ajude-nos a crescer! Curta a nossa página no Facebook. De quebra você concorrerá, toda semana, à um par de ingressos para o cinema. Não satisfeito? Final do ano têm sorteio de um telescópio amador!

Pronto? Obrigado!


COMPARTILHE O POST COM SEUS AMIGOS! 😉

Comentários

comentários

Sobre o Autor

Gabriel Pietro têm 18 anos, é Web Designer e Redator do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.