O Sol é uma imensa esfera de gás brilhante que produz energia e luz, que torna a vida na Terra, possível. A temperatura solar varia enormemente, de forma quase incompreensível até mesmo para os cientistas.

No núcleo do Sol, a atração gravitacional gera forte pressão e altas temperaturas, que podem chegar a mais de 15 milhões de graus Celsius. A pressão é tanta que átomos de hidrogênio são compactados e se fundem, criando hélio. Este processo é chamado de fusão nuclear.

A fusão nuclear produz enormes quantidades de energia. A energia irradia para a superfície, a atmosfera do Sol, e além. A partir do núcleo, a energia se move para a zona de radiação, onde acaba por ficar presa, rebatendo nas fronteiras da zona até se libertar, o que pode levar até um milhão de anos para acontecer – daqui, ela muda-se para a zona convectiva, a camada superior do interior do Sol. A temperatura cai para 2 milhões de graus Celsius. Grandes bolhas de plasma quente formam uma sopa de átomos ionizados e se movem para cima, à fotosfera.

A temperatura na fotosfera é de cerca de 5.500 °C. É aqui que a radiação do Sol é detectada como a luz solar. As manchas solares na fotosfera são mais frias e mais escuras do que a área circundante. No centro das grandes manchas, a temperatura pode atingir baixos 4000°C.

A cromosfera, a próxima camada de atmosfera do Sol, é um pouco mais fria, 4320°C. A luz visível a partir da cromosfera é geralmente muito fraca para ser vista contra a brilhante fotosfera, mas durante um eclipse solar total, quando a Lua cobre a fotosfera, a cromosfera pode ser vista como uma borda vermelha em torno do Sol.

As temperaturas sobem dramaticamente na coroa, que também só pode ser vista durante um eclipse, com o plasma fluindo para além da superfície do Sol, como uma verdadeira coroa. Ela pode chegar a atingir 2 milhões de graus Celsius. Quando esfria, perdendo calor e radiação, a matéria é ‘soprada’ para fora como o vento solar.

O Sol é o maior e mais massivo objeto do Sistema Solar. Está a cerca de 150 milhões de quilômetros da Terra. Sua luz e calor levam cerca de oito minutos para chegar até nós, o que nos leva a uma outra maneira de indicar sua distância para conosco: 08 minutos-luz.

Gostou do Acervo? Ajude-nos a crescer! Curta a nossa página no Facebook. De quebra você concorrerá, toda semana, à um par de ingressos para o cinema. Não satisfeito? Final do ano têm sorteio de um telescópio amador!

COMPARTILHE O POST COM SEUS AMIGOS! 😉

Comentários

comentários

Sobre o Autor

Gabriel Pietro têm 18 anos, é Web Designer e Redator do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.