Em um sistema de dois corpos, um corpo não orbita realmente o outro. Na verdade, ambos orbitam o baricentro entre eles.

Aqui está um exemplo de dois corpos idênticos. Eles orbitam em torno do “x” em vermelho.

No caso de um sistema estelar, a estrela é muito mais massiva que o planeta, – imagine, o Sol possui 99,9% da massa do Sistema Solar inteiro, cabendo o décimo restante à massa conjunta de todos os corpos celestes que o orbitam! – de modo que o baricentro entre eles se encontra dentro da estrela. A uma certa distância parece que o planeta está orbitando a estrela e a estrela está balançando muito ligeiramente.

Assim, para o cenário da questão, para que uma estrela pareça orbitar um planeta, o planeta teria que ser muito mais maciço do que a estrela – o que, obviamente, não é um cenário realista. As estrelas se formam quando uma grande quantidade de matéria é esmagada pela força da gravidade. Por conseguinte, se o planeta fosse muito mais maciço do que a estrela, logo, ele também deveria ser uma estrela!

O único cenário onde uma estrela poderia ser observada orbitando um planeta seria em um sistema binário, onde o planeta orbita uma grande estrela e uma segunda estrela, que é menor. A estrela menor também tem sua própria órbita em torno da estrela maior. Assim, vistos à uma certa distância, a estrela menor pareceria estar orbitando o planeta.

 Fonte: Quora, NASA


COMPARTILHE O POST COM SEUS AMIGOS 😉

Comentários

comentários

Sobre o Autor

Gabriel Pietro têm 18 anos, é Web Designer e Redator do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.